quarta-feira, 20 de junho de 2007

No período colonial, a ocupação do território latino-americano ocorreu, basicamente, mediante a formação de imensas propriedades rurais ( latifúndios), tanto para a criação de gado como para o cultivo de lavouras monoculturas de exportação. E então, a atual concentração fundiária na América Latina, teve origem, no sistema de produção colonial.
A concentração fundiária é a política agrícola que beneficia os latifundiários vem aumentando ainda mais a concentração de terras, pois os pequenos proprietários ( minifúndios) acabam vendendo suas propriedades por causa das dificuldades financeiras que encontram para produzir e sobreviver. Uma solução para esses problemas está na realização de uma reforma agrária, isto é, uma reorganização de espaço rural que tem como objetivo, a distribuição mais igualitária das terras.
É necessária uma política agrícola que de prioridade aos interesses internos de cada país, ao contrário da política atual que privilegia as classes latifundiárias internas e prioriza os interesses do mercado externo.
A concentração fundiária em nosso país vem aumentando, com um agravante: a Amazônia e os cerrados tornaram-se, desde 1970, as novas regiões de fronteira agrícola.
Afirmar que essas novas fronteiras agrícolas do país significa dizer que nas outras regiões, isto é, Nordeste, no Sudeste e no Sul, praticamente não existem mais terras disponíveis para a prática agropecuária. Além disso, o valor dos imóveis rurais nessas áreas tornou-se muito elevado, obrigando os agricultores menos capitalizados a deixarem seus estados de origem em busca de terras mais baratas.

terça-feira, 19 de junho de 2007